Anúncios

Dicas para organizar as finanças pelo computador

Anúncios

Não há dúvidas de que organizar nossas finanças se tornou cada vez mais importante nos dias de hoje. Algo que antes era considerado difícil, hoje pode ser feito pelo computador.

Saiba Mais:

Anúncios

Quem pode contratar o empréstimo consignado do Banco Inter?

É seguro fazer empréstimo com máquina de cartão?

Quem pode fazer empréstimo consignado da Caixa?

Quando você possui um controle das suas finanças, você tem uma melhora significativa na sua qualidade de vida, e pode investir em seus projetos e sonhos futuros.

Anúncios

Além disso, você tem benefícios como:

  • Autoconhecimento sobre seus hábitos de consumo
  • Descubra os investimentos mais adequados para o seu padrão de investidor.

Pensando nisso, listamos para você 9 dicas para organizar as finanças pelo computador.

7 passos para organizar suas finanças pessoais hoje.

1. Faça um diagnóstico geral

O primeiro passo para organizar as finanças pessoais é anotar todas as suas receitas e despesas.

Assim, você pode identificar se a diferença entre entrar e sair é positiva ou negativa.

No caso de resultado negativo, é sinal de que sua saúde financeira não vai bem.

É aqui que você deve começar a analisar quais despesas são realmente necessárias para sua vida e quais você precisa cortar.

2. Tenha uma ferramenta para controlar suas finanças pessoais

Como vimos acima, controlar os gastos e saber exatamente para onde vai seu dinheiro é fundamental para manter suas finanças pessoais atualizadas e saudáveis.

E para facilitar essa tarefa, você pode e deve utilizar ferramentas que o ajudem nesse controle.

Nesse contexto, a opção mais comum e recomendada para organizar suas finanças pessoais são as planilhas de controle de gastos, desenvolvidas por agências de Marketing como a Planejador Web.

3. Defina um orçamento

Depois de diagnosticar suas finanças pessoais, é hora de definir seu orçamento mensal.

Nesta parte, você precisará classificar seus gastos em diferentes categorias, como:

  • Despesas fixas: fornecimento de casa, carro ou mensalidades escolares para os filhos. Valores fixos em geral.
  • Despesas variáveis: contas de energia, água e outras que variam de acordo com o consumo ou as suas necessidades.

É importante definir como será dividido seu orçamento para cada uma dessas categorias, por exemplo: 50% para despesas fixas.

Você também pode criar metas para reduzir gastos variáveis ​​economizando água, energia ou telefone.

Também é importante avaliar seu padrão de vida atual e revisar os gastos com itens como mercado e lazer, a fim de reduzir gastos para caber no seu orçamento.

4. Calcule e priorize pagamentos de juros altos

Se por acaso você ainda não tem dinheiro para quitar todas as dívidas, priorize o pagamento das faturas com mais juros, como Cheque Especial e Cartão de Crédito.

As outras contas, é possível renegociar e reduzir o parcelamento para acertar após pagar as contas mais caras.

5. Programe suas compras

Economizar não precisa ser o mesmo que abrir mão do que você mais gosta. Na verdade, agora é hora de avaliar se o seu consumo é realmente necessário ou se é puro impulso.

Por isso, antes de comprar algo, tente dar voz à razão e não à emoção.

Planeje comprar aquele acessório, roupa ou eletrodoméstico. Dessa forma, você evita se endividar desnecessariamente.

Além disso, quando você tem dinheiro em mãos, tem um poder de barganha ainda maior no momento da compra.

6. Crie uma Reserva de Emergência

Com todas as contas organizadas e um orçamento bem definido, é hora de pensar no futuro.

Uma das melhores maneiras de fazer isso para suas finanças pessoais é criar uma Reserva de Emergência. Comece esse processo reservando uma parte de tudo o que você ganha. 20% é um bom início para uma reserva de emergência.

Essa reserva servirá de base para despesas inesperadas que surgirem, como saúde, problemas com o carro e assim por diante.

Você pode economizar esse dinheiro em uma aplicação financeira com boa liquidez. Assim, você deixa a sua reserva disponível para retirar sempre que necessário.

7. Invista em cursos de Educação Financeira

Você, como empresário ou responsável pela principal fonte de renda familiar, precisa ter conhecimentos sobre temas como juros, inflação, investimentos e psicologia do consumidor.

Portanto, é importante buscar a educação financeira em cursos ou livros sobre o assunto, estar sempre atualizado em novas formas e maneiras de investir nosso dinheiro.

Saber usar o seu dinheiro de maneira adequada é uma das principais vantagens da organização das finanças pessoais.

A tecnologia veio para nos ajudar em todas as áreas da nossa vida. É possível encontrar ferramentas que auxiliem em tudo, e com a educação financeira não seria diferente. Comece agora mesmo a organizar as suas finanças pessoais e aproveite conteúdos sobre o tema.

Gostou das dicas do artigo? Para mais conteúdos sobre ferramentas e educação financeira, continue acompanhando o nosso blog que postaremos diariamente.

Veja também:

Portocred empréstimo pessoal online

Como calcular a margem consignável de um empréstimo?

Moneyman empréstimo pessoal

Anúncios